Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

News.
Conheça as melhores práticas na gestão do Cadastro Único no último ano

Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Social reconheceu quatro práticas bem sucedidas no Brasil realizadas a partir de dados do Cadastro Único

Uma das vencedoras da noite, Regina Rocha, discursa durante entrega da prêmiação, que reconheceu as melhores práticas no país com o Cadastro Único. Foto: Patrick Grosner/MDSA e Rafael Zart/MDSA

Brasília, 16 de dezembro de 2016 – O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) anunciou na última quinta-feira, 15, os vencedores do Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Social – Edição Especial: Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Na cerimônia, em Brasília, Brasil, foram premiadas quatro práticas bem sucedidas e inovadoras na gestão do Cadastro Único (CadÚnico). Elas foram reconhecidas entre 150 inscrições e selecionadas entre 12 finalistas. Um entrevistador do Cadastro que se destacou na função também foi reconhecido. Os vencedores acompanharão a equipe do MDSA em uma missão internacional em 2017 (conheça mais sobre cada um deles ao final da matéria).

O Estado de Alagoas foi o vencedor na modalidade “Boas Práticas na Gestão do Cadastro Único de Governos Estaduais”, com a prática Visibilidade às Famílias Pertencentes aos Grupos Tradicionais e Específicos em Alagoas – Conhecer para Garantir Direitos. Com foco no atendimento a famílias indígenas e quilombolas, a iniciativa promove a sensibilização de gestores estaduais e municipais quanto à existência de grupos populacionais tradicionais e específicos, buscando ainda esclarecer as pessoas sobre seus direitos.

Na modalidade “Boas Práticas na Gestão do Cadastro Único de Governos Municipais e do Distrito Federal”, categoria “Estratégias de Qualificação e Fortalecimento do Cadastro Único”, venceu o município de Santarém, no Estado do Pará, com a prática Centro de Atendimento Social. A iniciativa reúne uma série de serviços ofertados por meio do Cadastro Único em um único local, facilitando o acesso da população a diversas políticas públicas.

O município de Porto Seguro, no Estado da Bahia, foi o vencedor na categoria “Uso do Cadastro Único para o Desenvolvimento de Políticas Públicas”, com a prática Casa do Trabalhador e Programa Municipal de Qualificação Profissional – Qualifica Porto. Por meio do projeto, a administração local desenvolve ações de capacitação, intermediação de mão de obra e incentivo à geração de renda para a população inscrita no Cadastro Único.

Na categoria “Cadastro Único e Diversidade Social”, quem levou o troféu foi Muaná, no Estado do Pará, com a prática Equipe Itinerante: 28 de maio no Território das Águas. O município expandiu a política de proteção social levando diversas ações até as pessoas que vivem em áreas isoladas. O deslocamento da equipe é feito de barco. Entre as atividades, estão cursos, palestras, capacitações e busca ativa para inclusão e atualização do Cadastro Único.

Evento
No evento de premiação, o diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser, afirmou que o Cadastro Único “tem sido uma das melhores práticas que temos compartilhado no âmbito internacional, um dos principais tópicos da Iniciativa Mundo sem Pobreza (World without Poverty, WWP) para a troca de experiências com países na África e no resto do mundo”.

Ele lembrou ainda que o CadÚnico é a principal porta de entrada para a maioria dos programas sociais brasileiros, e que fornece subsídios a mais de 40 ações, o que melhora a efetividade do sistema de proteção social com a troca de informações entre programas e a interoperabilidade entre bancos de dados administrativos.

Presente no evento, o secretário nacional de Renda de Cidadania do MDSA, Tiago Falcão, ressaltou ainda que o Cadastro Único avançou muito ao longo dos anos e hoje serve de inspiração para outros países. “O Cadastro é hoje o melhor instrumento de conhecimento de uma parcela da população que era desconhecida para o Brasil. Isso tem despertado o interesse internacional. Hoje, o número de países que querem conhecer o Cadastro Único supera até o dos que querem conhecer o Programa Bolsa Família”, apontou.

“Esta premiação representa o nosso reconhecimento da importância do trabalho desenvolvido por todos vocês. É esse trabalho que nos permite conhecer a realidade brasileira e transformá-la”, destacou o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, durante pronunciamento. Para Terra, os avanços atingidos nas políticas públicas brasileiras se devem à excelência com que o Cadastro Único é colocado em prática.

O prêmio Rosani Cunha foi criado em 2009 para homenagear a ex-secretária Nacional de Renda de Cidadania. Responsável pela gestão de grandes programas do ministério, como o Bolsa Família, Rosani Cunha faleceu em 2008, em um acidente de carro.


Conheça mais sobre os projetos vencedores:

Boas Práticas na Gestão do Cadastro Único de Governos Estaduais
Visibilidade às famílias pertencentes aos Grupos Tradicionais e Específicos em Alagoas – Conhecer para garantir direitos (Estado de Alagoas)
Iniciada em 2007, a prática promove a sensibilização dos gestores estaduais e municipais quanto à existência de Grupos Populacionais Tradicionais e Específicos (GPTEs). O trabalho ressalta as características específicas de cada grupo, destacando aqueles que necessitam do apoio do poder público. A iniciativa também atua esclarecendo as famílias pertencentes aos GPTEs sobre seus direitos, para que busquem, junto aos gestores locais, a inserção no Cadastro Único e possam ter acesso a diferentes políticas públicas, como o Programa Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada (BPC), Tarifa Social de Energia Elétrica, Seguro Defeso, entre outros.

Boas Práticas na Gestão do Cadastro Único de Governos Municipais e do Distrito Federal
Categoria: Estratégias de Qualificação e Fortalecimento do Cadastro Único

Centro de Atendimento Social (Santarém/ Estado do Pará)
Com o objetivo de facilitar o acesso da população de baixa renda ao Cadastro Único e a outros serviços, o município de Santarém criou, em 2014, o Centro de Atendimento Social, que reúne uma série de iniciativas em um único espaço. Entre elas, estão a emissão da Carteira do Idoso, documentação civil, inserção no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Tarifa Social de Energia Elétrica. A prática aperfeiçoou os processos de trabalho, aprimorou a oferta dos serviços e ampliou os atendimentos diários para cerca de 400 pessoas. Os profissionais buscam prestar um atendimento de qualidade e que garanta direitos à população de baixa renda.

Uso do Cadastro Único para o Desenvolvimento de Políticas Públicas
Casa do Trabalhador e Programa Municipal de Qualificação Profissional - Qualifica Porto (Porto Seguro/ Estado da Bahia)
A fim de promover uma política de capacitação, emprego e renda para a população inserida no Cadastro Único, a gestão local criou em 2015 a Casa do Trabalhador e o Programa Municipal de Qualificação Profissional (Qualifica Porto). A prática oferta cursos e oficinas de qualificação profissional, orientação, acesso ao microcrédito, estímulo à formalização para Microempreendedor Individual e fomento a ações de economia solidária. Os alunos e as famílias que frequentam os cursos também recebem alimentação, que é adquirida por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Ao todo, já foram formados cerca de 600 alunos.

Cadastro Único e Diversidade Social
Equipe Itinerante: 28 de Maio no Território das Águas (Muaná/ Estado do Pará)
Desenvolvida desde 2014, a iniciativa tem o intuito de expandir a política de proteção social, tendo por base a diretriz da territorialização da rede de assistência social. A equipe elaborou um diagnóstico de cada localidade do município, por meio de mapeamento socioterritorial georreferenciado, e desenvolveu ações direcionadas aos perfis das comunidades, como cursos, capacitações, serviços, palestras, incentivo à geração de renda e campanhas educativas. Outra atividade central é a busca ativa para revisão e averiguação cadastral, novas inclusões e atualizações do Cadastro Único. As ações possibilitaram, por exemplo, o diagnóstico socioterritorial de 7 polos e visitas a todas as regiões do município, com cobertura de 100% do território.

Todas as informações são do MDSA